Friday, April 23, 2010

Evento - NextGen NetWitness (Monitoração de Rede de Última Geração) RJ, BH, BSB e SP


É com muito prazer que anuncio que na próxima semana estarei participando do Road Show NetWitness que a Techbiz Forense Digital organizou em 4 cidades. Nestas oportunidades estaremos apresentando a tecnologia de Forense de Rede NextGen da NetWitness para clientes selecionados das seguintes cidades:
  • Rio de Janeiro (27/04, 3a-feira, das 9h às 12h) - convite
  • Belo Horizonte: (28/04, 4a-feira, das 9h às 12h) - convite
  • Brasília (29/04, 5a-feira, das 9h às 12h) - convite
  • São Paulo (30/04, 6a-feira, das 9h às 12h) - convite
Neste evento teremos a ilustre presença de Eddie Schwartz, Chief Security Officer da NetWitness - que estará conosco mostrando e demonstrando as principais funcionalidades da ferramenta e como empresas no mundo inteiro usam esta tecnologia revolucionária de segurança de rede para aumentar a visibilidade de ameaças reais, melhorando o tempo de resposta a incidentes utilizando sua fantástica capacidade de geração de alertas em nível de aplicação - em near-real-time.

Seguem alguns reviews e notícias como aperitivo sobre a tecnologia que será apresentada:

Wednesday, April 21, 2010

Brasil lidera ranking de solicitações judiciais ao Google

Muitas investigações iniciadas internamente em empresas ou em diferentes forças da lei e finalizadas na justiça buscam provar a autoria de diversos crimes cometidos via Internet, como difamação e falsa identidade.

Além disto, material ofensivo ou criminoso como vídeos envolvendo e comunidades que incentivam o preconceito racial - por exemplo - podem ser removidos através de solicitações judiciais. Da mesma forma, a identificação de endereços IP utilizados em acessos ou no cadastro de uma conta pode ser solicitada para auxiliar em investigações em curso.

O Google inovou - mostrando uma transparência que outras empresas como a Microsoft não imaginavam ser possível - e lançou hoje um mapa mostrando um ranking - encabeçado pelo Brasil - de solicitações judiciais e extra-judiciais de 1.) requisição de dados e 2.) solicitações de remoção feitas por vários governos do mundo ao Google durante o segundo semestre de 2009.

Segue o detalhamento das requisições feitas por autoridades brasileiras ao Google neste período:
  • 3663 data requests
  • 291 removal requests
    • 82.5% of removal requests fully or partially complied with.
    • 21 Blogger (court order)
    • 5 Blogger
    • 4 Gmail (court order)
    • 1 Google Suggest
    • 99 orkut (court order)
    • 119 orkut
    • 9 Web Search (court order)
    • 32 YouTube (court order)
    • 1 YouTube
Uma observação importante sobre o motivo do primeiro lugar brasileiro é fornecida pelo próprio Google:
For Brazil and India, government requests for content removal are high relative to other countries in part because of the popularity of our social networking website, orkut. The majority of the Brazilian and Indian requests for removal of content from orkut relate to alleged impersonation or defamation.
Outro detalhe importante ao analisar os dados: estão sendo contabilizadas as solicitações, e não as identificações ou remoções únicas (uma solicitação pode conter múltiplos pedidos de identificação).

As informações fornecidas por empresas provedoras de acesso e conteúdo na internet são fundamentais para a identificação e indiciamento de autores de inúmeros crimes, mas seu controle e métricas também preocupam entidades e cidadãos interessados no impacto que este tipo de requisição pode ter na privacidade dos internautas.

Uma análise interessante sugerindo um maior detalhamento das informações divulgadas foi feita pelo blog Slight Paranoia:
  • How many requests from the government were under exigent or emergency circumstances, in which there was no accompanying subpoena,search warrant or other court order? In such situations, the company is permitted to voluntarily disclose data to the government, but is under no legal obligation to do so. Thus, it is also important to know how many times the company refused these requests.

  • Of the government requests that Google received, how many were subpoenas, search warrants, 2703(d) orders, "hybrid" location requests, and electronic intercept/wiretap orders?

  • For each of these categories of government requests, how many did the company comply, and how many did the company go to court to fight the request?

  • For each of these categories of requests, how many (or a %) were by local, state or federal agencies?

  • For each of these categories of requests, what kind of information was being asked for? (e.g. 15% of requests were for search records, 50% were for email, 20% for GPS location info, etc).

  • What is the median and mean age of the customer information requested by and disclosed to law enforcement? (e.g. Are most requests for private user data that is a week old, or 200 days old?)
  • Wednesday, April 7, 2010

    1º Workshop de Perícia Digital - Universidade Católica de Brasília


    Por convite do Coordenador do curso de Pós-Graduação em Perícia Digital da Universidade Católica de Brasília, estarei fazendo hoje uma palestra no evento "1º Workshop de Perícia Digital".

    Na oportunidade estarei apresentando diferentes Ferramentas de Forense Computacional - incluindo algumas novidades pouco conhecidas e utilizadas no mercado brasileiro.


    No dia 7 de abril (quarta-feira), a Universidade Católica de Brasília promoverá o 1º Workshop de Perícia Digital. O evento acontecerá no auditório do Campus Avançado da Asa Norte, às 19h.

    Para participar, os estudantes devem fazer uma inscrição prévia, preenchendo um formulário e entregando-o no Campus de Taguatinga, ou da Asa Norte.

    Para conferir o formulário de inscrição e a programação CLIQUE AQU!

    Tuesday, April 6, 2010

    Espionagem internacional China vs Tibet (GhostNet) e outros países

    fonte infográfico: artigo relacionado do New York Times.


    [ 2010-04-06 - Update ]

    Mais novidades sobre as atividades de cyber-espionagem com origem na China.

    Um novo relatório, chamado de "Shadows In The Cloud - An investigation into cyber espionage 2.0" (pdf) - expande as informações que foram aqui originalmente apresentadas por este post. Além da Universidade de Toronto, o CitizenLab e a ShadowServer Foundation e o SecDev Group participaram do projeto.

    Os investigadores documentam evidências de atividades ligadas a comunidade chinesa (província de Chengdu) de cyber-espionagem que envolveram o comprometimento de instituições Governamentais, Acadêmicas e Comerciais na Índia, Nações Unidas, Embaixada do Paquistão nos Estados Unidos, entre outros.

    Foram também recuperados documentos do governo Indiano que vazaram destes alvos, incluindo dois marcados como SECRETOS, seis como RESTRITOS e cinco como CONFIDENCIAL, Além de cerca de 1500 cartas enviadas pelo escritório do Dalai Lama.


    Mais informações:






    [ 2010-01-13 - Update ]


    O Google - através de seu Diretor Jurídico - publicou ontem um artigo no seu Blog Oficial chamado "A new approach to China". A empresa divulgou que vários ataques a partir da China têm ocorrido, incluindo roubo de propriedade intelectual do Google e acesso não autorizado a informações de pessoas de diferentes nacionalidades que lutam a favor dos direitos humanos.

    Além disto eles divulgaram que durante a investigação que foi feita, outros setores da economia americana também foram afetados (Internet, Financeiro, Tecnologia, Mídia e Químicos).O Google também anunciou que não irá mais censurar os resultados de pesquisas feitos a partir da China, o que deve gerar problemas para a continuidade empresa na China (google.cn).

    Outras 33 empresas - apenas da área de tecnologia - também foram afetadas pelo ataque descrito pelo Google e com técnicas similares ás detalhada no post original abaixo.

    [ 2009-10-12 - Update ]

    Jornais portugueses divulgam relatório que afirma que informações sensíveis do país foram roubadas pela Ghostnet, incluindo "informação capaz de facultar o acesso a bases de dados do Ministério da Justiça, ficheiros sobre o sistema que gere as eleições em Portugal, documentos da Polícia Judiciária e informação sobre juízes e magistrados".

    [ 2009-04-02 - Update ]

    O americano Heike, militar aposentado da área de inteligência e especialista em cultura hacker chinesa, publicou em seu blog The Dark Visitor o resultado de pesquisas de identificação de um dos indivíduos por trás da rede de espionagem "GhostNet". Até o momento os suspeitos não tem nome, mas já tem nickname (lost33 & losttemp33), cidade (Chengdu, Sichuan [google maps]) e universidade ("University of Electronic Science and Technology of China" [Google Translate]


    [ 2009-03-29 - Post Original ]


    É crescente a preocupação dos governos com a "CyberWar", e este é um motivos que motivou vários países a priorizar cada vez mais ações de Cyber-Segurança.

    No sábado passado, pesquisadores da Universidade de Toronto publicaram um paper (mirror pdf) (link original - lento) muito interessante intitulado "Tracking GhostNet - Investigating a Cyber Espionage Network".

    Trata-se de uma investigação conduzida nos últimos 10 meses a pedido do Dalai Lama, sobre uma suposta espionagem internacional efetuada pela China contra o Tibet e outros países

    O envolvimento oficial do governo não foi inteiramente confirmado (e já foi negado oficialmente) - apesar de algumas confissões de hackers chineses no passado (video cnn) )(principalmente asiáticos) que envolveu 1295 computadores em mais de 100 nações.

    O que diferencia este ataque e análise de tantos outros é que 30% dos alvos incluem forças militares, ministérios de relações exteriores, embaixadas, organizações internacionais e jornais de vários países.

    A abordagem direcionada dos atacantes, segundo a F-Secure (traduzida e simplificada por nós), é a seguinte:

    1. somente um alvo (do governo ou ONG) recebe um email 'spoofado' de algum conhecido, com texto e anexo (PDF,DOC,PPT ou XLS) que fariam sentido para o alvo e o falso remetente.

    2. Como o alvo quase sempre possui alguma aplicação vulnerável (Adobe Reader, Microsoft Word ou Excel), o anexo malicioso instala um trojan de acesso remoto (RAT), como os seguintes [ atenção, não siga os próximos links a não ser que saiba o que está fazendo ] Grey Pigeon, Gh0st Rat (site chinês) e Poison Ivy.

    3. A partir daí, o computador do alvo não mais lhe pertence, e sua navegação, emails e documentos podem ser vistos por seus piores adversários, que irão utilizar as palavras chave mapeadas nas máquinas atacadas para enviar emails aparentemente válidos com anexos maliciosos para novos alvos (1.).

    Entre as informações expostas no paper, há evidências documentadas da invasão de computadores que continham informações sensíveis do escritório privado do Dalai Lama e outros alvos Tibetanos.

    O paper é dividido em 3 partes:

    I - Análise de alegações prévias de cyber espionagem pela China e métodos utilizados nesta investigação

    II - Detalhamento da condução da investigação - Apresentação de achados.

    III - Análise dos achados, implicações e sugestão de explicações alternativas.

    Pesquisadores da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, publicaram um relatório técnico sobre o mesmo tema (GhostNet), entitulado The snooping dragon: social-malware surveillance of the Tibetan movement (pdf).

    Labels

    forense (50) resposta a incidentes (40) segurança em profundidade (27) vulnerabilidade (27) treinamento (22) cyberwar (18) conferência (16) forense de memória (15) hackers (15) malware (15) blogs (14) vazamento de informações (13) windows (13) ddos (12) china (11) criptografia (11) dns (11) exploit (11) google (11) microsoft (11) ferramenta (10) memoria (10) botnet (9) csirt (9) forense de disco (9) forense de rede (9) ftk (9) legislação (9) phishing (9) 0-day (8) NIST (8) accessdata (8) encase (8) evento (8) ferramentas (8) kaspersky (8) linux (8) negação de serviço (8) netwitness (8) sans (8) volatility (8) cert.br (7) correlacionamento (7) desafios (7) forense corporativa (7) internet explorer (7) livros (7) pageviews (7) pci (7) privacidade (7) twitter (7) usa (7) APURA (6) Guidance Software (6) espionagem industrial (6) governo (6) iccyber (6) metasploit (6) monitoração (6) skype (6) techbiz (6) 0day (5) CDCiber (5) blackhat (5) brasil (5) dlp (5) falha (5) fbi (5) ids (5) inteligencia (5) java (5) memoryze (5) modelagem de ameaças (5) métricas (5) nsa (5) patch (5) pdf (5) policia federal (5) python (5) registry (5) richard bejtlich (5) rsa (5) segurança (5) segurança de rede (5) siem (5) CyberCrime (4) Enscript (4) adobe reader (4) algoritmo (4) android (4) anti-forense (4) anti-virus (4) arcsight (4) auditoria (4) backdoor (4) backtrack (4) campus party (4) ccc (4) certificação digital (4) ciberespionagem (4) defacement (4) drive-by (4) estatísticas (4) exploit kit (4) firefox (4) fud (4) gsi (4) mandiant (4) md5 (4) online (4) pentest (4) programação (4) safe browsing (4) sandbox (4) slowloris (4) ssl (4) storm worm (4) stuxnet (4) trojan (4) wikileaks (4) windows7 (4) .gov (3) ameaça (3) blackberry (3) ceic (3) chrome (3) ciberguerra (3) cloud (3) conscientização (3) crackers (3) cymru (3) dan geer (3) defesa (3) dsic (3) engenharia social (3) enisa (3) evidence (3) fast flux (3) forense digital (3) hardware (3) htcia (3) https (3) imperva (3) intel (3) ips (3) live cd (3) logs (3) man in the middle (3) networkminer (3) perícia digital (3) processo (3) ransomware (3) registro (3) reportagem (3) revista (3) risco (3) secunia (3) shell (3) shodan (3) sox (3) sql injection (3) tools (3) truecrypt (3) verizon (3) virus (3) vista (3) voip (3) worm (3) .mil (2) BSIMM (2) Encase Enterprise (2) JDFSL (2) TPM (2) Virustotal (2) XSS (2) adobe flash (2) aduc (2) amazon (2) apache (2) apple (2) autenticação (2) bloqueador de escrita (2) breno silva (2) bruce schneier (2) bundestrojaner (2) cache poisoning (2) caine (2) carders (2) carnegie mellon (2) carolina dieckmann (2) carving (2) censura (2) cipav (2) cofee (2) coldboot (2) comodogate (2) conficker (2) consciência situacional (2) cooperação (2) core (2) cucko´s egg (2) cuda (2) cyberwarfare (2) database security (2) digital intelligence (2) direito digital (2) dnschanger (2) dpf (2) engenharia elétrica (2) engenharia reversa (2) etir (2) expressões regulares (2) f-response (2) finfisher (2) fingerprinting (2) firmware (2) flash (2) fraude (2) ftkimager (2) full disclosure (2) fuzzy (2) gsm (2) hacktivismo (2) hbgary (2) heap spray (2) iOS (2) immunity (2) impacto (2) insecure magazine (2) insiders (2) interceptação (2) iphone (2) irc (2) irã (2) jaquith (2) loic (2) mac (2) mastercard (2) mestrado (2) mobile (2) ms08-067 (2) openioc (2) openssl (2) otan (2) palantir (2) paypal (2) pcap (2) pdgmail (2) portugal (2) presidência (2) prisão (2) proxies (2) ptfinder (2) rbn (2) recompensa (2) recuperação (2) regripper (2) relatório (2) resumo (2) rio de janeiro (2) ross anderson (2) russia (2) securid (2) segurança por obscuridade (2) sift (2) snort (2) snowden (2) sony (2) sorteio (2) spam (2) spoofing (2) spyeye (2) sql (2) ssd (2) stealth (2) suricata (2) sysinternals (2) tecnologia (2) trend micro (2) unb (2) usb (2) virtualização (2) visa (2) vulnerability (2) waf (2) winen (2) wireless (2) wpa (2) wpa2 (2) xry (2) zeus (2) .edu (1) .pac (1) 3g (1) ABNT (1) AR-Drone (1) AppleGate (1) Asterisk (1) Audit Viewer (1) BIOS (1) CCDCOE (1) CEF (1) CERT (1) CSI Cyber (1) CarbonBlack (1) Craig Wright (1) DC3 (1) Diginotar (1) Dilma (1) DoD (1) Equation (1) FACE (1) FRED (1) Facebook (1) Fred Cohen (1) GPU (1) Gene Spafford (1) HP (1) ICOFCS (1) ICS (1) IDMEF (1) IJDCF (1) IJDE (1) IJOFCS (1) INFOSEG (1) IODEF (1) IPv6 (1) ISIS (1) ISO (1) MAEC (1) MCT (1) MMEF (1) Michael Cloppert (1) Ministério da Defesa (1) Netwtiness (1) OVAL (1) PL84/99 (1) RH2.5 (1) RNP (1) SDDFJ (1) SbSeg (1) Seccubus (1) Stratfor (1) TED (1) TJX (1) TV5 (1) TV5Monde (1) Tallinn (1) USCyberPatriot (1) USSTRATCOM (1) VERIS (1) VRT (1) WPS (1) WiPhire (1) Wifi Protected Setup (1) Windows10 (1) XMLHttpRequest (1) YARA (1) a5/1 (1) a5/3 (1) active defense (1) adeona (1) adhd (1) aes (1) afflib (1) akamai (1) alemanha (1) ambev (1) angler (1) anti-theft (1) antisec (1) anubisnetworks (1) apt (1) apwg (1) aquisição (1) arbor (1) armoring (1) artefatos (1) artillery (1) asprox (1) assinaturas (1) atenção seletiva (1) attack (1) aurora (1) australia (1) autonomous systems (1) avg (1) avi rubin (1) avware (1) awards (1) baixaki (1) bash (1) bbc (1) bear trap (1) belkasoft (1) bgp (1) birthday attack (1) bitlocker (1) black tulip (1) blackhat seo (1) blacklist (1) blind sql injection (1) bluepex (1) bluepill (1) breaking point (1) bug (1) bulk_extractor (1) byod (1) c2c (1) capacidade (1) carbon black (1) careto (1) carnivore (1) cartão de crédito (1) cbs (1) cellebrite (1) celular (1) centera (1) cerberus (1) certificações (1) cheat sheet (1) chip (1) chris paget (1) chromium (1) citrix (1) clean pipe (1) cliff stoll (1) cloudfare (1) cloudflare (1) cloudshield (1) cnasi (1) cnet (1) cnn (1) codenomicon (1) coleta (1) comodo (1) comodobr (1) compliance (1) comsic (1) convenção de budapeste (1) convergence (1) copa do mundo (1) coreia do norte (1) corey johnson (1) cpbr (1) crime na rede (1) crise (1) cristine hoepers (1) cuckoo (1) cyberattack (1) cyberbunker (1) daemonlogger (1) dam (1) dancho danchev (1) darkmarket (1) dcom (1) decaf (1) decaf v2 (1) decloack (1) deepweb (1) defcon (1) deutche telekom (1) dfrws (1) digitask (1) dimmit (1) diário oficial (1) dnsbl (1) dnssec (1) dou (1) downadup (1) drdos (1) drwxr (1) dsd (1) dumpcap (1) dumpit (1) duqu (1) e-evidence (1) ediscovery (1) eff (1) elcomsoft (1) emc (1) emprego (1) energia (1) enigma (1) entrevista (1) escola nacional de defesa cibernetica (1) eset (1) esteganografia (1) estonia (1) estratégia (1) etld (1) europa (1) eventos (1) evil maid (1) evilgrade (1) exercito (1) exploit-db (1) exportação (1) extorsão (1) f-secure (1) falso positivo (1) fantastico (1) fatal error (1) fecomercio (1) fernando carbone (1) ff4 (1) finlândia (1) flame (1) flexispy (1) foremost (1) forense de vídeo (1) forensic focus (1) forensic magazine (1) forensics (1) forensics.wiki.br (1) forensicswiki (1) força bruta (1) frança (1) full disk encryption (1) g1 (1) gauss (1) gcih (1) ghostnet (1) globo (1) gmail (1) gpcode (1) gpl (1) gps (1) grampo (1) guardium (1) guerra (1) guilherme venere (1) hack (1) hackerazzi (1) hackingteam (1) hakin9 (1) hardening (1) harlan carvey (1) hash (1) helix (1) hitler (1) holanda (1) honeynet (1) honeypot (1) hope (1) hosts (1) hotmail (1) httpry (1) iPhoneTracker (1) idefense (1) ig (1) impressoras (1) india (1) info exame (1) insecure maganize (1) intenção (1) interpol (1) interview (1) into the boxes (1) investimento (1) ioerror (1) iphone forensics (1) ironport (1) isc2 (1) israel (1) j2ee (1) jacomo dimmit (1) jailbreak (1) javascript (1) jesse kornblum (1) jotti (1) junho 2008 (1) kaminsky (1) kasumi (1) kgb (1) kits (1) klaus steding-jessen (1) kntools (1) kraken (1) langner (1) lime (1) limites (1) lista (1) lm (1) locaweb (1) lockheed martin (1) lynis (1) lógica (1) mac memory reader (1) mac memoryze (1) macosx (1) magic lantern (1) map (1) marcapasso (1) marcelo caiado (1) marcos ferrari (1) mawlare (1) mbr (1) mcafee (1) mcgraw (1) memscript (1) metasploitable (1) mindmap (1) mit (1) mitigação (1) mitm (1) moonsols (1) moxie (1) mrtg (1) ms08-033 (1) nac (1) nessus (1) netcontinuum (1) netflow (1) networking (1) ngrep (1) nit (1) nmap (1) norma (1) norse (1) notebook (1) ntlm (1) ntop (1) ntp (1) nuclear (1) obama (1) oi (1) oisf (1) oiss (1) olimpiadas (1) openbts (1) openvas (1) opm (1) oportunidade (1) oracle (1) orkut (1) otp (1) owasp (1) packers (1) panda (1) pattern matching (1) payback (1) pcre (1) pedofilia (1) pentesting (1) perforce (1) pericia (1) perl (1) perícia (1) pfsense (1) pgp disk (1) phonecrypt (1) pki (1) ploks (1) poisoning attack (1) policia civil (1) polypack (1) port knocking (1) português (1) post-mortem (1) postgres (1) powershell (1) prefeitura (1) premiação (1) preparação (1) princeton (1) provedores (1) ps3 (1) psn (1) psyb0t (1) pushpin (1) pwn2own (1) pymail (1) quebra de sigilo (1) r2d2 (1) rainbow tables (1) rar (1) realengo (1) reação (1) record (1) referência (1) regex (1) registry viewer (1) regulamentação (1) remnux (1) renato maia (1) renault (1) replay (1) reversing labs (1) roi (1) rootkit (1) router (1) rpc (1) ruby (1) sanitização (1) santoku (1) sc magazine (1) scada (1) scanner (1) scm (1) secerno (1) second life (1) security (1) securityonion (1) senasic (1) sentrigo (1) sep (1) sequestro de dados (1) sha1 (1) shadowserver (1) shmoocon (1) siemens (1) sites (1) skorobogatov (1) slideshare (1) smartcard (1) snapcell (1) software (1) sotirov (1) sp (1) spamhaus (1) spidertrap (1) squid (1) sri (1) ssdeep (1) sseguranca (1) sslstrip (1) sting (1) stj (1) street view (1) sucuri (1) superinteressante (1) são paulo (1) t-mobile (1) takedown (1) teamcymru (1) technosecurity (1) telefônica (1) terra (1) terrorismo (1) timeline (1) tizor (1) tls (1) token (1) topcell gsm (1) tresor (1) trustwave (1) tse (1) turquia (1) txtBBSpy (1) umass (1) unix (1) urna eletrônica (1) us-cert (1) usenix (1) userassist (1) vazamentos (1) venda de senhas (1) venere (1) verdasys (1) verisign (1) videntifier (1) visualização (1) visualize (1) vivo (1) vm (1) votação (1) wargaming (1) wasc (1) web 2.0 (1) weblabyrinth (1) websense (1) whitelisting (1) whois (1) wigle (1) win32dd (1) winacq (1) windbg (1) windd (1) winifixer (1) wipe (1) wired (1) wireshark (1) wlan (1) wordpress (1) wrf (1) xerxes (1) xp (1) zdi (1) zlob (1)